quinta-feira, 29 de setembro de 2011

TRÊS É DEMAIS (Rushmore, Estados Unidos, 1998)




Meu interesse por este filme foi bastante casual. Ele estava passando no canal de filmes da TV e quando comecei a assisti-lo notei algo de peculiar nele. Desde o primeiro momento não consegui parar de assisti-lo. Ele é interessante, divertido, cômico e traz valiosas lições através de um humor negro bastante particular. Neste filme, toda a sua unidade envolve o expectador, que, por sua aparente leveza, só depois se apercebe das várias mensagens que foram passadas. Em resumo, este filme é ótimo! Repleto de particularidades que o deixam original, e com personagens divertidíssimos, esta obra foi a que, despretensiosamente, me viciou em Wes Anderson, fazendo-me lembrar dela sempre sorrindo.


Na história, um rapaz estuda em Rushmore, uma academia de renome nos Estados Unidos. Esse rapaz não é rico e estuda lá porque é bolsista devido a seu talento em escrever peças de teatro. Ele é um péssimo aluno, mas, com seu gênio obstinado, se enche de atividades extra-curriculares, tornando-se, assim, uma das figuras mais conhecidas da escola. Ele se torna amigo do pai de dois alunos em Rushmore (Bill Murray). Esse homem incentiva as idéias inusitadas do rapaz e, quando ele se apaixona por uma professora da escola, quem também acaba se apaixonando pela mesma professora é o personagem de Bill Murray. Daí segue-se uma série de cômicos eventos, apresentados de forma única e divertida.

Wes Anderson é o diretor deste filme, e isso garante um engraçado humor negro e situações que chegam a ser caricaturescas, sem falar da maneira particular com que esse diretor expõe a história. Sem dúvida Wes Anderson possui um estilo próprio, mas que, mesmo assim, ainda consegue se mostrar renovado. Esse estilo pode ser comprovado em seus outros filmes, como um que já fora aqui comentado.

Uma característica deste diretor, presente neste filme, é o fato de a trilha sonora não apenas acompanhar a história, mas fazer parte dela. As músicas são cuidadosamente escolhidas para se encaixarem perfeitamente com o sentimento da cena e com o trecho da história que está sendo passado. Mas isso se apresenta de maneira natural, sem exigir qualquer esforço do expectador, muito pelo contrário, isso tudo forma uma unidade, e assim, quem assiste ao filme só se diverte com ele, recebendo tudo isso despretensiosamente.


Outra marca de Wes Anderson que pode ser notada é o uso da câmera lenta em momentos exatos. Esta forma mais vagarosa de imagem é usada para enaltecer um comportamento específico sem deixá-lo passar despercebido. Isso é normalmente acompanhado por uma música que, como dito, se encaixa perfeitamente com o momento mostrado.

A maior parte do que eu disse até agora sobre este filme foi sobre detalhes técnicos de mérito do diretor, mas, com certeza, o que coroa este filme é o trabalho do elenco. Os atores estão ótimos, correspondendo perfeitamente com seus papéis. Mas devem ser especificamente elogiados Bill Murray e Jason Schwartzman pois eles se encaixam em seus personagens de forma natural, parecendo até dividir, na vida real, a mesma personalidade dos seus personagens. Bill Murray em particular está irretocável como um marido e pai desiludido que acaba por odiar a si mesmo. O cinismo de seu personagem torna-se cômico, principalmente quando aliado às idéias inconsequentes do personagem de Jason Schwartzman.

Cada personagem deste filme possui uma particularidade que os torna essenciais para a história. E essas peculiaridades dos personagens tornam o filme ainda mais original e interessante. É um filme que, com humor, passa lições sobre a vida e os relacionamentos. Ele é carismático, bem humorado e contagiante. Com certeza é um filme que eu quero poder assitir sempre, pois ao ver a divertida caricatura que ele apresenta, o expectador acaba por desejar que ela se assemelhe com sua própria vida real.

Um comentário:

  1. Vim saber sobre esse filme lendo uma Set dos anos 90 que ganhei a coleção. Parece ser muito interessante, pena o seu Torrent tá offline. Mesmo assim vou continuar procurando, obrigado pelo seu trabalho, já peguei alguns filmes aqui mês passado.

    ResponderExcluir